Logo Pró-Saber SP

Troca de saberes: Pró Jovens em mais uma formação pedagógica

Pelo olhar de Larissa Ayeska, mediadora do Ler&Brincar e formada no Pró Jovens, a partilha de conhecimentos sobre cultura e brincadeira
Equipe de jovens mediadores de leitura e brincadeira do Pró-Saber SP na FlipSampa com Kiusam de Oliveira.

Na primeira quinta-feira de agosto a equipe do Ler & Brincar nas Escolas realizou uma sequência de formações externas propostas pela coordenadora do projeto, Luana Andrade. Acompanhamos o 1º Fórum pelos Direitos da Criança e do Adolescente: a Cultura e o Brincar, sobre os direitos da criança e do adolescente, conversa promovida pelo Centro Educacional do Doutores da Alegria, com a mediadora Daiane Corina e as convidadas Gabriela Romeu e Priscila Costa.

Esta proposta foi importante para nós jovens, porque tivemos a oportunidade de sermos ouvidos e vistos, além de ouvir pessoas que estão super engajadas no tema com diferentes pontos de vista, mas sempre se complementando. Fazer parte desse diálogo sobre a importância de priorizar o cuidado com as diversas infâncias foi uma experiência excepcional.

Garantir não apenas a igualdade, mas a equidade através da cultura e da brincadeira. Durante as diversas infâncias, tanto a cultura quanto o brincar são fundamentais para estimular o desenvolvimento global da criança. Ainda falamos sobre políticas públicas voltadas às crianças e aos adolescentes, bem como o impacto dessas ações no desenvolvimento e formação da vida adulta.

Essa formação foi uma oportunidade enorme para ampliar nossos conhecimentos e desfrutar de opiniões diversas. Foi uma experiência maravilhosa ter esse contato com o grupo do trabalho em outro ambiente. Dividimos saberes sobre as pautas trazidas, demos muitas risadas com os besteirologista e almoçamos juntos depois da formação. 

Para mim, essa vivência foi muito importante para fortalecer o grupo. Os assuntos abordados pela mediadora Daiane e ressaltado pelas convidadas foram temas que me fizeram parar e refletir.

Para fechar com chave de ouro, aproveitamos o dia para acompanhar outra formação com autores de livros infantis.

Quando chegamos no Centro Cultural de São Paulo (CCSP), fiquei encantada com a quantidade de livros. Quis sair comprando tudo! As pessoas que estavam lá também eram muito interessantes e pareciam não ter vergonha nenhuma, além de terem ótimos dançarinos.

Na primeira palestra, apesar de já conhecermos Lollo e Blandina, tivemos surpresas em relação aos livros deles. Fiquei feliz que teria um lançamento no Pró! Além disso, descobri que um dos livros é o Aporofobia, que é uma aversão a pobres e fiquei chocada que esse termo e tal fobia sejam reais.

Fui impactada pela segunda palestra, realizada somente com autores negros: Kiusam de Oliveira, Rodrigo Andrade e Sônia Rosa. As histórias contadas são muito marcantes e nos repensar como o racismo também está implícito nos livros, por isso precisamos tomar cuidado ao apresentá-los para uma criança.

As formações foram essenciais para realizar reflexões sobre as práticas por nós realizadas e como podemos mudar a forma de olhar para esses obstáculos e contorná-los de uma forma divertida.

Veja também

Foto de crianças e voluntários (adultos) na praia, com o texto "Notícias"